sábado, 6 de setembro de 2014

Diabetes??? Eu???

- Por Filipa Barros - 


Foi mais ou menos a minha reação quando, logo nas análises do primeiro trimestre, o valor da glicose em jejum indicava uma possível complicação da gravidez. Como tenho hipotiroidismo fui encaminhada para a consulta externa no Hospital de São João.

Fiquei um bocadinho abananada com a situação. A médica endocrinologista disse logo "este valor é diabetes gestacional", a enfermeira deu-me a maquineta de medir a glicemia e explicou-me o funcionamento e que as pesquisas na fase inicial seriam apenas antes e depois das refeições principais. A nutricionista estabeleceu-me um plano alimentar adequado e muito semelhante ao que já fazia. Fui para casa a digerir toda aquela informação e a pensar mais na saúde do meu bebé que na minha...

Os dias que se seguiram foram um tormento, os meus valores não pareciam ter lógica nenhuma e independentemente do que comesse ou fizesse não havia um padrão, uma lógica. Cheguei a chorar e a desesperar-me... afinal, há anos que faço desporto a sério e, apesar de algum peso a mais, sou mais resistente que a maioria das mulheres da minha idade, cumpria a dieta escrupulosamente, pesava a comida e até media os mililitros de leite, andava a pé a seguir às refeições e continuei a ir ao ginásio até ao fim da gravidez. Por isso não conseguia perceber... Mas não havia nada para perceber, a diabetes gestacional é mesmo assim, pim pam pum calhou-me a mim.

Claro que há fatores de risco, mas ninguém consegue explicar porque é que aparece a umas grávidas e não a outras. Acredita-se que poderá ter a ver com o facto de a insulina e algumas das hormonas da gravidez serem molecularmente semelhantes e competirem umas outras, também poderá ser porque o útero em crescimento e o reajuste dos orgãos internos confundem o pâncreas e este deixa de funcionar corretamente, mas ao certo ninguém sabe porquê.



Senti durante algum tempo que a culpa era minha (culpa e maternidade caminham de mãos dadas!), mas ninguém tem culpa, né? Aliás, eu sou o exemplo de que, muitas vezes, a diabetes gestacional é como é porque sim. Pensava frequentemente que, se não tivesse cuidados com a alimentação e não fizesse exercício, então aí é que seria mesmo complicado. No final, além das pesquisas tomava insulina rápida e lenta várias vezes por dia, de cada vez que ia à consulta os valores de insulina tinham de ser reajustados, normalmente para cima. Finalmente, tivemos que 'despejar' a pequena pois a situação começava a ser perigosa para mim.

Com este testemunho eu pretendo dar a conhecer a minha experiência, para que outras grávidas saibam que não é fácil mas é possível levar a gravidez com calma e alegria, mesmo quando se tem uma complicação. Estou grata de ter tido uma complicação que me obrigava a mexer; se assim não fosse penso que teria sido mais complicado.


1 comentário:

Filipa - minifeijao.blogspot.pt disse...

Obrigada pela partilha, muitíssimo útil! Muitas vezes achamos que só acontece a quem tem excesso de peso