sexta-feira, 18 de julho de 2014

A Prematuridade

_ Por: Regina Freitas _ Mãe dos gémeos


Hoje em dia, este é um assunto já mais falado, existindo assim mais informação sobre o que é a prematuridade e como é um bebé prematuro, mas iremos deparar-nos com uma grande maioria de pessoas que não têm bem a noção de quão frágil é um bebé prematuro e de quais são os cuidados tão especiais que é necessário existir.

Quando é que um bebé é considerado prematuro?

Um prematuro é um bebé que nasceu antes das 37 semanas de gestação. Existem 4 tipos de prematuros consoante a semana gestacional na qual ocorreu o nascimento.
Entre as 35 e as 37 semanas são considerados moderadamente prematuros, entre as 30 e as 34 semanas são muito prematuros, entre as 26 e as 29 semanas são prematuros extremos e antes das 26 semanas são micro prematuros.

O Desenvolvimento a curto prazo.

Quando um bebé nasce prematuramente é levado para a UCINP (Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais e Pediátricos), onde permanecerá o tempo necessário até estar apto para a vida fora da unidade.
Algo muito importante é a aprendizagem da sucção, ou seja, têm de aprender a mamar. Uns demoram mais um pouco, outros desenvolvem mais rapidamente este ensinamento, mas acabam por conseguir, sendo necessário uma contínua estimulação por parte dos pais, para que o bebé continue a progredir.
Existem algumas estratégias de estímulo, como por exemplo um género de massagem/toques específicos em torno da boca do bebé (explicam na unidade), bem como colocar um dos nossos dedos a exercer alguma pressão por baixo do queixo enquanto mamam, estimulando assim a sucção.

A Alimentação na unidade.

Inicialmente, os prematuros têm de ser alimentados através de uma sonda nasogástrica. Confesso que faz alguma confusão ver aquele tubinho que entra pelo narizinho, mas é necessário estar ciente de que é para o bem do bebé e de que é indolor.
O leite adaptado ou o leite materno é colocado numa seringa, a qual é introduzida na extremidade visível desse tubinho, e aos poucos o pequeno estômago ficará saciado. Devido à imaturidade desse orgão, os prematuros no inicio têm tendência a bolçar mais.
Lembro-me que bem no início os meus gémeos bebiam apenas 30ml de leite. Com o passar do tempo, desenvolveram a sucção, começaram a comer sempre mais um pouco e quando saíram da unidade bebiam já entre 60ml e 90ml.

Os cuidados a ter após a alta hospitalar.

Os bebés prematuros, tal como o nome indica, são imaturos a vários níveis, e um deles é o sistema imunitário. São mais frágeis e, como tal, mais suscetíveis a contágios virais.
Visto isto, é necessário ter em atenção, por exemplo, a desinfeção das mãos e a esterilização dos objetos com os quais os bebés têm contacto.
As visitas têm de ser limitadas, pois o bebé tem de permanecer num ambiente calmo e sereno, sem grandes alterações repentinas, visto que muito facilmente se desorganiza, ou seja, fica assustado e não sabe como reagir a certos estímulos. É evidente que ficam confusos, pois para eles é complicada a adaptação à vida fora do útero, já que na verdade deveriam estar ainda dentro dele.

Mais um pouco da minha experiência.

Em meados de Dezembro de 2013, às 32 semanas e 4 dias de gestação, nasceram os meus meninos gémeos, passaram 1 dia na incubadora e logo depois foram transferidos para o berçário na mesma unidade, onde permaneceram até ao início de Janeiro.
Nesta unidade, a UCINP, do Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, encontrei profissionais fantásticos, os quais admiro muito, pois desenvolvem um trabalho excecional com os bebés, bem como com os pais, elucidando-os sobre o tema da prematuridade e ajudando a desenvolver competências.
É importante o contacto fisico entre os pais e o bebé, por isso a unidade incentiva a prática do "Método Canguru", também conhecido por "Contacto Pele a Pele", o qual consiste em colocar a criança parcialmente vestida sobre o peito nú da mãe ou do pai, aumentando desta forma o vínculo entre filho e progenitor. Posso dizer que é maravilhosa a sensação, o sentimento, sentir o calor do nosso filhote, os seus movimentos... é fantástico!
Após a alta, quando os levei finalmente para casa, foi uma vitória, pois tinham ultrapassado um grande obstáculo e estavam aptos para prosseguirem na sua jornada.
Ser Mamã de prematuro e, no meu caso, de gémeos, não é tão complicado quanto parece, é tudo uma questão de organização, de vontade e principalmente de prestar atenção à voz do nosso instinto para atender às necessidades de bebés tão pequenos.
Li e refleti imenso sobre a prematuridade, de forma a estar preparada para as diferentes etapas do desenvolvimento dos meus meninos, tentando não esquecer a situação da idade corrigida, ou seja, a idade ajustada ao grau de prematuridade,  que é aquela que o bebé teria se tivesse nascido às 40 semanas.
Hoje, têm 7 meses (idade real), as adversidades passaram, já não são evidentes as características físicas de um bebé prematuro. Estão bem, são bebés felizes, comilões e sorridentes e nada poderia ser melhor.


4 comentários:

Joana Cunha disse...

Regina, que texto lindo! A vossa história sim, descreve como bebés conseguem ser guerreiros, e mamãs também :) Não tenho sombra de duvida que este texto vai ajudar muita gente :)

Regina Freitas disse...

Obrigada Joana! Espero realmente conseguir ajudar com este post, pois a prematuridade tem muito que se lhe diga, e assim demonstrar que existem casos de sucesso, aliás, muitos casos de sucesso, achei por bem partilhar o meu.

Daniela OliveiraMagalhães disse...

Gostei muito Regina!
És uma grande mãe e os teus bebés uns verdadeiros lutadores!

Hoje Vou Casar Assim disse...

Eu também gostei muito!

Este texto tem que ser partilhado :)