sexta-feira, 18 de julho de 2014

Quando as ‘coisas’ não correm conforme o esperado…


- Por: Carolina Romero -

(Aviso: este post pode vir a ser longo.. looool)

É verdade... nem tudo é um mar de rosas no que concerne à gravidez! 
E, definitivamente, cada gravidez é diferente da outra.

Idealizamos um momento pleno, cheio de coisas boas, motivações novas, paz, harmonia, tranquilidade, saúde, vida...  tudo de mais belo e harmonioso que existe, é o que queremos! 

Até que, às 24 semanas de gestação dizem-te: “mamã, o colo do útero está curto, vai ter que estar de repouso absoluto”! 

O colo chegou a medir 14mm, esteve afunilado e com abertura de 3mm devido à pressão que a cabeça da minha princesa exercia, 2 testes de fibronectina positivos, contrações que chegavam a 100/120mmHg de intensidade, dores, medo, muito medo de um parto prematuro e de tudo o que isso acarreta! Estive internada 2 vezes para tentarem travar o “quadro” e fazer o ciclo de amadurecimento pulmonar da bebé (1 + 1 de resgate). Colocava diariamente cápsulas de Progegeffik e conseguia tocar na cabeça da minha filha... ela já estava “encaixada” para nascer!

Fiz tudo o que esteve ao meu alcance, repousei o máximo que pude, só me levantava da cama para o sofá e do sofá para a casa de banho. Cada semana que passava era um milagre, sentia uma alegria e uma gratidão a Deus imensa por mais uma semana que conseguíamos aguentar.

Nas consultas perguntava à minha OB quanto tempo mais aguentaria, e ela só me respondia: “Um dia de cada vez mamã, vá me ligando.”
Não! 
Não era isso que eu queria ouvir, eu queria respostas concretas e não algo abstrato! 
Queria que ela me dissesse que tudo iria correr bem e que a minha princesa não seria prematura, que conseguiria travar o estado em que eu estava.

Pois...

Mas não havia respostas “concretas”... não havia certeza de nada. A única certeza que tinha é que ela iria nascer no tempo em que Deus determinasse que ela viria ao mundo... e agarrava-me a isso e ia me fortalecendo!

Medos? Muitos!
Ansiedades? Bastantes!
Insegurança? Todos os dias!
Mas não me entreguei, nós não nos entregamos.. 

Lembrava-me deste versículo bíblico e acalmava o meu coração: "Pois tu formaste os meus rins; entreteceste-me no ventre de minha mãe. Eu te louvarei, porque de um modo tão admirável e maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e esmeradamente tecido nas profundezas da terra. Os teus olhos viram a minha substância ainda informe, e no teu livro foram escritos os dias, sim, todos os dias que foram ordenados para mim, quando ainda não havia nem um deles." Salmos 139:13-16 (Versão João Ferreira de Almeida Atualizada (AA))

Às 36 semanas de gestação confirmou-se que a princesa não estava a crescer e a engordar como era suposto, o líquido amniótico estava no limite dos limites e teríamos que tirá-la!
Às 37 semanas, nasce o meu tesouro com 45cm e 2425gr de parto normal induzido...

Aí sim, cessaram todas as minhas inseguranças, medos, angústias, aflições e choro relativos à gravidez! Finalmente tinha a minha princesinha nos braços... saudável, pequenina, magrinha e cheia de garra e vontade de viver! 

Fomos umas guerreiras, lutamos contra todas as evidências, probabilidades, expectativas e circunstâncias, e conseguimos! 
Conseguimos, meu amor! 
Nós conseguimos!

Ontem completaste 6 mesinhos, 6 mesinhos que, juntamente com o teu irmão, alegram a minha vida, florescem o meu caminho e tornam tudo muito mais colorido e fácil de suportar.

Amo-vos, amo-vos daqui até ao infinito, amo-vos com toda a força do meu coração e com a toda a intensidade do meu ser! <3

Parabéns a ti, Eduarda
Parabéns a nós ;) 




6 comentários:

Susana Araújo disse...

Amei ler Carol! :) emocionei-me! Que lindo. E apesar de todas as adversidades ainda tives-te uma bebé mais do que perfeita. Uma bebé que já nasceu bonita. Uma boneca linda que adoro ver em fotos desde o primeiro momento que o partilhas-te. Parabéns por seres uma guerreira. A Maria Eduarda vai sê-lo com certeza. Beijinho grande com muito carinho e admiração.

Ni disse...

Ainda me lembro de ter passado o tempo que estiveste na urgência agarrada ao telefone contigo :) Torci tanto para que a Duda se mantivesse no quentinho! Felizmente correu tudo bem!

Mamã C. disse...

Obrigada meninas ;)
Por eles.. tudo fazemos e suportamos e tu sabes bem disso Ni! <3

Joana Cunha disse...

Autênticas guerreiras vocês as duas :) Recuei no tempo com este teu relato :)

Liliana Correia disse...

Felizmente correu tudo bem e tens nos braços uma pipoquinha lindona... custou mas foste conquistando cada dia cheio de forças para o proximo!

Mamã C. disse...

É verdade!
Valeu a pena o sacrifício.. 😉